02 julho, 2011

No meu fone #001 | Aline Pignaton

Aline Pignaton foi um nome constante na minha adolescência. Eu acompanho seu trabalho desde um festival de dança que participei nem lembro mais quando – faz tempo! Mas lembro bem da minha antipatia gratúita pela moça, que tinha sido convidada para cantar no evento. Eu era apenas uma mocinha desengonçada e sem muitos talentos que vivia em guerra com o próprio cabelo. A Aline não. Ela tinha uma voz doce, um c’d gravado, uma segurança invejável diante do público e um figurino impecável. Inveja nada santa detectada.

Secretamente (eu não ia dar o braço a torcer, tá?), eu sempre dava um jeito de comprar seus c’ds – e me demorava por horas com o encarte nas mãos, observando a ficha técnica e me arriscando em alguns acordes com os playbacks. Eram trabalhos tipicamente “evangélicos”, com direito a regravação de hino tradicional e tudo. E como eu era uma típica garota evangélica, me caia bem aos ouvidos.

Chegamos a 2011. O tempo passou, eu mudei bastante e naturalmente minhas escolhas (inclusive musicais) tem acompanhado essas mudanças. E acho que posso dizer que o mesmo aconteceu do lado de lá também – o que, de uma forma bastante curiosa, faz isso tudo ter um peso sentimental pra mim agora.

Aline e banda no lançamento do novo c’d no teatro Sesi em Vitória
Outro dia alguém postou no facebook a Aline cantando Vilarejo, da Marisa Monte e minhas anteninhas se levantaram atentas! Foi-se o tempo de pensar “nossa, será que ela desviou?”. É o que eu diria se ainda fosse aquela mocinha desengonçada com cabelo difícil (ah, o que não fazem alguns anos, um pouco de lucidez e uma progressiva!).

Gostei do que eu vi e ouvi. Na realidade, consigo escolher poucos artistas que traduzam integralmente o que tenho gostado de escutar. Com grandes compositores cristãos no repertório, é nítida a influência da MPB, um pouco de bossa talvez, e um temperinho de Jazz. Não vejo a hora de ter o c’d em mãos, pra Aline fazer expediente em tempo integral no meu fone!


Nenhum comentário:

Postar um comentário