07 julho, 2011

Eu preciso aprender a só ser


Gilberto Gil por Verônica Ferriani
Sabe, gente
É tanta coisa pra gente saber
O que cantar, como andar, onde ir
O que dizer, o que calar, a quem querer

Sabe, gente
É tanta coisa que eu fico sem jeito
Sou eu sozinha e esse nó no peito
Já desfeito em lágrimas que eu luto pra esconder

Sabe, gente
Eu sei que no fundo o problema é só da gente
E só do coração dizer não, quando a mente
tenta nos levar pra casa do sofrer

E quando escutar um samba-canção
Assim como: "Eu preciso aprender a ser só"
Reagir e ouvir o coração responder:
"Eu preciso aprender a só ser."

Por mais que se tenha, família, amigos, líderes, pastores, não adianta: há lutas que são, por natureza, solitárias. E cá pra nós, Peniel é mesmo pequeno de mais pra caber mais gente.  Lá, só há lugar para mim, meu travesseiro de pedra e o anjo com quem luto agora. E eu preciso aprender a lidar com essa solidão necessária - necessária, e que se contradiz, uma vez que ela coexiste com a multidão ao redor. E é nessas horas que sou tentada a olhar para fora e tentar agregar barulho ao meu silêncio e romances fora de tempo, como que me privando de terminar uma fase que precisa ser vivida. Quero um nome novo no final. Quero descobrir quem sou – o que cantar, como andar, onde ir, o que dizer, o que calar, a quem querer… Mas até lá, a realidade da canção me envolve: eu preciso aprender a só ser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário